Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Assine

ISRAEL | 1000KM NA TERRA PROMETIDA

ROTEIRO DE ISRAEL: TEL AVIV / CESAREIA / HAIFA / NAZARETH / GALILÉIA / TIBERIADES / RIO JORDÃO / JERICHO / MAR MORTO / JERUSALÉM / EILAT

Falar do nosso primeiro grande mochilão não é fácil, quando voltamos sempre falávamos um para o outro que nunca mais teríamos uma viagem como esta. Conseguimos uma passagem muito barata pela DELTA airlines . SP - ATLANTA - ISRAEL - NY (3DIAS de stopover) - SP por R$1120,00 com todas as tacas para todos estes trechos para cada em 6 vezes sem juros, tínhamos acabado de casar (1 ano de casado), pouquíssimos recursos, mas encaramos comprar essa trip que seria histórica. Encontramos essa pelo blog Melhores Destinos. Neste mochilão fizemos NOVA YORK+ISRAEL+EGITO+GRÉCIA+TURQUIA.


TEL AVIV


Pousamos em Israel e já tomamos um chá de cadeira na Polícia Federal deles, afinal acharam estranho um casal sem qualquer documento de agência ou guia, fazendo uma viagem de turismo religioso com tickets para muitos países, ficamos bem 1 hora lá, tive que explicar tudo em inglês e provar que era reverendo presbiteriano, afinal a minha juventude não condizia com o perfil que eles esperam de um reverendo.


Saindo do aeroporto fomos ver o por do sol nas belas praias de TEL AVIV, lendo em blogs descobrimos que é um dos mais belos do planeta, o sol desce sobre o mar formando uma linda camada avermelhada no horizonte. Não volte de Israel sem fazer isto!


Além disto, Tel Aviv é uma cidade bem organizada, bem badalada e cheia de atrações e muitos felinos andando pela cidade, fomos em uma feira cheia de comidas típicas e artefatos religiosos sendo vendidos, apesar do cansaço conseguimos aproveitar muito bem!


HAIFA E CESAREIA


Na costa do Mar Mediterrâneo, entre Tel Aviv e Haifa, está um dos mais impressionantes sítios arqueológicos de Israel: o Parque Nacional de Antiguidades. Localizado na cidade de Cesaréia, o espaço abriga as ruínas do antigo palácio do rei Herodes, o Grande, construído no primeiro século a.C.. O nome Cesaréia (Caesarea) é uma homenagem ao imperador romano César Augusto. As ruínas do parque mostram a imponência dos monumentos na época. O complexo abrigava um grande porto, ao lado de instalações para entretenimento, como o anfiteatro e o hipódromo. O Parque de Antiguidades é um dos pontos turísticos mais visitados em Israel e é frequentado também por locais, que aproveitam as praias e os espaços públicos. Nas proximidades do antigo palácio há restaurantes, cafeterias, lojas e galerias de arte, que fornecem a estrutura para o visitante que quiser passar o dia por lá. É bem cheio e com entrada paga mas vale a pena se programar para visitar, nós fizemos Haifa e Cesareia, pois são bem perto uma da outra.


A terceira maior cidade de Israel é uma das mais bonitas. Haifa tem muito que oferecer aos visitantes. Nela se encontra o maior porto do país, uma praia muito ativa, e também abriga o Centro Mundial da fé dos Bahai. Cercada por sítios naturais abundantes, a cidade contém uma mistura interessante de bairros modernos e distritos antigos; igrejas e mesquitas, montanha e mar. Visitamos em Haifa o Porto e o Jardim Patamares (Bahai Gardens), que são incríveis e você precisa conhecer, abaixo algumas fotos de Haifa e de Cesareia:


NAZARETH E MAR DA GALILÉIA (TIBERÍADES)

Com o carro alugado, nós partimos de Haifa rumo a Nazareth. O nosso terceiro destino em Israel foi Nazareth e então Tiberíades, a capital da Galileia, estado que faz fronteira com o Líbano, Jordânia e com a Síria. A viagem durou meia hora.


A cidade de Nazaré era um vilarejo calmo e isolado, que ficava junto a um declive, no coração de um vale ondulado. O seu crescimento era limitado pelo escasso suprimento de água. A única fonte que existia e a fonte que hoje está no coração da cidade e onde provavelmente Jesus foi diversas vezes acompanhando sua mãe, para buscar água nos potes de barro da época. Hoje, Nazaré é uma cidade de ocupação árabe na parte de baixo. Não se veem judeus andando pelo centro. Nas montanhas, acima do vilarejo, tem uma cidade chamada Nazaré Illit (que tem o som de “elite”) onde moram os judeus. E certo que lá também moram alguns árabes, bem poucos. De cima a paisagem é linda. Estou apaixonada pelos caminhos pedregosos e fico imaginando há mais de dois mil anos, quando Jesus caminhava de um lado ao outro, de um vilarejo ao outro. A paisagem é tão rica em história, que até a poeira deve ser preservada.


Encontramos um pequeno sítio, bem no meio da cidade, uma autêntica reprodução de uma vila da época de Jesus. A experiência que vivi em duas horas ali foi simplesmente fantástica. Em segundos, eu fui transportado para dois mil anos atrás e passei a andar por caminhos de terra com pedras e a sentir o cheiro das cabras. Conhecemos as ferramentas que faziam a prensa da azeitona para fazer o óleo comestível, o óleo para as lamparinas e o óleo da unção. Entrei e sentei numa sinagoga no mesmo estilo onde os judeus da época se encontravam para ler as escrituras sagradas. Acompanhamos uma mulher tecer um tapete com fios da lã das ovelhas. Vi o local onde as uvas eram pisadas e por onde o líquido escorria. Ou seja, a minha visão da Bíblia se tornou encarnada.


Vale a pena visitar o website deles www.nazarethvillage.com


O mar da Galileia é a grande atração de Tiberiades, parece mesmo um mar de tão grande, mas na verdade é um lago. O mais baixo do mundo. Fica a cerca de 210 metros abaixo do nível do mar. É abastecido principalmente pelo Rio Jordão e tem extrema importância para Israel porque é de lá que vem a água doce que abastece várias cidades. É impressionante como no meio do deserto existem dezenas de plantações que sobrevivem graças ao sistema de irrigação subsidiado pelo governo. Toda essa água, do norte do país, vem da Galileia.


RIO JORDÃO / JERICHO / MAR MORTO


Muitos viajantes que realizam a rota do turismo religioso em Israel passam pelos pontos de batismo no Rio Jordão, onde, segundo tradições cristãs, Jesus teria sido batizado. O local considerado ponto original do batismo de Jesus hoje está em território palestino e chama-se Qars AL-Yahud. Caso deseje ir ao ponto original, peça auxilio a um guia especializado. Para facilitar o acesso de turistas, Israel desenvolveu um novo ponto no Rio Jordão para o ritual. Em Yardenit os batismos são realizados em um espaço especialmente desenvolvido para isso. Independente da religião, a visita é interessante, especialmente pela emoção dos devotos que passam pelo ritual no Rio Jordão. Passamos pelo rio jordão e na fronteira de Jericó de carro e não deu tempo de assistirmos os batismos, mas como sou reverendo presbiteriano não estava tão animado como outros ficam, depois de passarmos por estes lugares fomos ao incrível MAR MORTO.


Um dos pontos prediletos dos turistas que visitam Israel é o Mar Morto. A água deste lago, um dos pontos mais baixos da terra (400m abaixo do nível do mar), tem um dos maiores índices de salinidade do mundo e permite que os turistas se divirtam um bocado com isso. Não se envergonhe e aproveite o momento para brincar com a flutuação. A água é terapêutica (com potencial de cicatrização) e você ainda poderá aproveitar para fazer um banho de lama negra. Eu havia cortado o pé e sofri muito ao entrar na água, mas em pouco já estava cicatrizado, ao longo de todo trajeto existem grades e cercas com placas de PROIBIDO NADAR, mas em algumas regiões de hotéis você podem entrar gratuitamente e ainda tem lojas e chuveiros. Na estrada os camelos esperam os turistas pra uma foto ou pra uma voltinha no deserto... Ao longo da costa israelense existem várias praias com pequenas estruturas, algumas pagas, outras não. Fomos na gratuita obviamente. Lembre-se de não abrir os olhos e nem deixar a água entrar na boca, o gosto é amargo – horrível - e os olhos ardem de uma maneira indescritível. A praia é pequena e estava cheia. Turistas de vários lugares do mundo lotavam o mar, se divertiam e ao sair sem chinelo queimavam os pés nas pedras e no caminho que leva aos chuveiros de água doce...O Mar Morto diminui um metro por ano, por isso corra antes que ele seque, foi uma das melhores experiências de nossa vida!


EILAT


Eilat é a cidade mais ao sul de Israel, localizada bem na fronteira com Aqaba, na Jordânia e Taba, no Egito. Ela é banhada pelo Mar Vermelho – uma grande atração da cidade. Apesar do nome, a água do mar é muito cristalina e tem um lindo tom azulado. Pela excelente condição de visibilidade e pela grande quantidade de corais, o Mar Vermelho em Eilat é um ótimo point para mergulho. E foi exatamente isso que fizemos por lá – além de entrarmos para ficar um tempo no Egito (veja no relato do egito). A localização de Eilat é super estratégica para quem está em Israel e quer conhecer também Petra, no país vizinho (infelizmente não tivemos a oportunidade de ir por tempo e preço ($140 dólares por pessoas na época). Encontramos um calçadão com shoppings e bons restaurantes, e atrações como um parque de diversões com temática bíblica e uma pista de patinação no gelo (em pleno deserto, com temperaturas que facilmente podem passar dos 40 graus). Visite a tríplice fronteira e se surpreenda.


Por ser uma zona livre de impostos, Eilat possui vida noturna e comercial bastante agitadas. Passeamos várias vezes ao longo do grande calçadão à beira mar e comprovamos que realmente existem lojas de várias marcas mundiais vendendo produtos a preços que em minha opinião não são tão interessantes quanto os praticados aqui nas Américas. Há também um sítio turístico muito popular nesta cidade chamado Dolphnarium (Reef HaDolphinim), uma praia particular realmente paradisíaca, onde é possível ter encontros com golfinhos, praticar snorkel e descansar na estrutura que existe na beira da praia.


JERUSALÉM

Jerusalém é uma das capitais mais famosas e incríveis do mundo. Além da beleza, dos aspectos históricos e da importância para três das maiores religiões monoteístas do mundo, esta é uma cidade que desperta paixões dentro de um conflito geopolítico que já dura gerações. Estivemos pela primeira vez nessa inesquecível cidade no verão de 2014. Não se prenda apenas ao roteiro da Via Sacra, na famosa Jerusalém.

LÍNGUA E MOEDA

Se sabe inglês, não terá qualquer problema, já que a maioria da população fala a língua e o resto arranha. A moeda do país é o New Israeli Shekel (NIS). Há, todavia, sítios que aceitam Euros ou Dólares, principalmente no aeroporto. Devo alertar para o facto de, no aeroporto, o troco ser geralmente em Dólares, caso faça pagamentos em Euros, todas as placas estão em hebraico e inglês.

O QUE FAZER:

Jerusalém é um convite à imersão nas tradições. Aliás, “segundo a tradição” talvez seja uma das frases mais ditas por lá. Independente do tipo de turismo que você busca, em Jerusalém a tradição sempre estará contigo. Os nomes que permeiam as ruas são tão familiares que é fácil sentir-se parte da fé que envolve o local. Visitamos os lugares que mais gostamos

1. Você poderá seguir os caminhos de Jesus pela Via Sacra (ou Via Dolorosa);

2. Kotel ou Muro das Lamentações

3. Rua Jaffa (Rua movimentada e cheia de vendinhas)

4. Santo Sepulcro e a Esplanada da Mesquista.

5. Lugares como Monte das Oliveiras, Igreja das Nações, Jardins de Getsêmani, Torre do Museu de David e Mercado Árabe também estão neste roteiro de Jerusálem

O QUE COMER:

A comida em Israel é tão diversificada quanto a população que aqui vive. A “cozinha Israelense” é um conceito que envolve muitas tradições culinárias e matérias-primas locais. A maioria dos habitantes Israelenses Judeus é imigrante da Europa Oriental, da Antiga União Soviética, e do Norte da África; estes trouxeram com eles, tradições de longa data sobre a comida judaica que desenvolveram na área em que viviam, comemos esfihas maravilhosas nas ruelas israelenses apesar de que encontramos um cabelo árabe na última que comemos, tente se aventurar, mas fique esperto aos sábados, pois tudo fecha, menos o MCdonalds!

Uma das melhores experiências que tivemos lá foi o Garden Tomb, com áudio guiado em português. A crença de que o Garden Tomb é o local onde Jesus foi sepultado, é devido ao fato de que antigamente judeus não enterravam os corpos dos seus entes dentro da cidade, somente fora dela. Como pode-se observar por toda a cercania de Jerusalém a maioria dos cemitérios estão fora da Old City próximo ao vale.O Jardim da Tumba é um local belíssimo com jardins e amplo espaço para que os peregrinos possam sentar e orar visualizando o túmulo onde houve o sepultamento de Jesus e também a Golgota. A parte mais emocionante da visitação é ao entrar no túmulo e ler a frase colocada em uma placa “Ele não está aqui, Ele ressuscitou.”O local fica aberto para visitação das 09:00 ás 11hrs e das 14hrs ás 17hrs, podendo através do site agendar visitas guiadas. O endereço do Garden Tomb é próximo ao Damascus Gated a Old City, á 400m na Nablus Road. Mais informaçoes pelo site: www.gardentomb.com

ONDE FICAMOS

Chegamos em Jerusalém e nosso hotel tinha dado overbook (chegamos a noite e tinham colocado outro casal em nosso quarto, a cidade vive lotada), eles nos realocaram depois de 1hora de briga para uma Catedral Anglicana, não curtimos muito, até entrar e perceber que iriamos dormir em uma Igreja do século XVII com paredes de pedra, bati papo com o Bispo e descobri que para ficarmos lá seria o triplo do preço, tivemos um baita bônus e uma ótima experiência em um quarto onde ficavam bispos ao longo da história. Veja foto:

NOSSO ROTEIRO DE CARRO:

Além do roteiro programado entre as cidades, rodamos mais 200km para cumprir todos os passeios em cinco dias marcantes em nossas vidas e principalmente para mim que cursei Teologia como graduação e após um mestrado em educação, voltei para um doutorado em Teologia, tudo se tornou encarnado após esta viagem e trouxe vida para as prédicas que sou chamado a fazer.

APROVEITE ISRAEL! Espero que nosso post tenha te ajudado a montar o seu roteiro.




  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Instagram Basic Black

© 2015